Cinema

Resenha: Exterminador do Futuro: Gênesis

A franquia do Exterminador do Futuro, sempre teve como objetivo mostrar ao público os perigos da viagem no tempo e da inteligência artificial. A premissa e o conceito básico da série (onde o novo filme errou e muito sério) é também uma sinopse do primeiro filme.

Exterminador do Futuro Gênesis
Fonte da imagem: The Guardian

Em um futuro distante, a Skynet, um serviço de inteligência artificial criado pelo governo para serviços militares, se sobrepõe aos humanos e manda misseis nucleares para todo o globo terrestre reduzindo a população humana em 1/3. É iniciada uma guerra contra as máquinas e o líder dos humanos é John Connor.

John descobre que a Skynet trapaceou e mandou um exterminador modelo T-800 (robô interpretado por Arnold Schwarzenegger) de volta no tempo para 1984 com o objetivo de matar Sarah Connor, mãe de John. Em contra-ataque, os humanos mandam Kyle Reese para combater o exterminador e proteger Sarah. Ao decorrer da história descobrimos que Kyle é pai de John, e ele morre protegendo Sarah e destruindo o T-800.

Esta é um dos dogmas da série, e negar a este fato é contrariar a ideia de James Cameron ao criar a franquia. Infelizmente, meus caros internautas, o quinto filme de franquia fez exatamente isto e não deu uma justificativa agradável para os fãs. Seria por exemplo dizer que Darth Vader não é pai do Luke Skywalker, mas sim o padrasto simplesmente porque o roteirista quis.

Lançamento Exterminador do Futuro
Fonte da imagem: The Guardian

Isto e muitos outros furos de roteiro causaram uma raiva dos fãs contra o filme, e alguns destes furos são simplesmente erros em qualquer filme relacionado á inteligência artificial. Além do filme ter um clima mais romântico, fofo e bonitinho, diferente dos outros filmes da série que possuem de toques de terror á plena ação em tela.

A direção do filme teve seus pontos baixos e pontos razoáveis, as cenas de ação por exemplo foram muito mal gravadas e realmente fizeram por merecer um belo de um 4.2. O diretor Alan Taylor também não facilitou para os fãs ao escolher o elenco, Jason Clarke e Arnold Schwarzenegger conseguiram fazer um bom trabalho em seus papeis como John Connor e T-800 envelhecido, respectivamente, porém Emilia Clarke como Sarah Connor e Jai Courtney como Kyle Reese, realmente não conseguiram convencer, Linda Hamilton e Michael Biehn realmente davam vida ao casal.

Resumindo, tivemos um segundo Exterminador do Futuro: A Salvação, só que desta vez os produtores mexeram com os dois primeiros filmes da franquia, os melhores de toda a série por sinal.

Nossa Opinião
  • Enredo - 2.9/10
    2.9/10
  • Atuações - 6.6/10
    6.6/10
  • Direção - 4.2/10
    4.2/10
  • Escolha de Elenco - 4.9/10
    4.9/10
  • Cinematografia - 4.7/10
    4.7/10

Conclusão

Exterminador do Futuro: Gênesis foi apenas uma segunda tentativa do estúdio em ganhar dinheiro por criar um material pouco criativo e desonroso utilizando uma das melhores séries de ficção científica existentes.
As atuações não são tão boas, as cenas de ação são pessimamente gravadas, e o enredo é simplesmente horrível.

4.7/10

Imagem: The Guardian

  • Pedro Gouvea

    Uma definição completa: FILME HORRÍVEL; RESENHA ÓTIMA!
    haha

  • Sonia Maria Custodio

    Olá Rafael
    Como sempre, artigo de primeira em todos os aspectos. Parabéns!

    • obrigado, sinto-me feliz de ter um feedback positivo

Cinema

Sócio da Aibu's Films, escrevo para o site e sou estudante no Ensino Médio.

Veja também outras matérias relacionadas a Cinema:

Crítica: Moana

Juan de Souza06/01/2017

Crítica: Rogue One – Uma História Star Wars

Juan de Souza17/12/2016

Curiosidade: As cenas reutilizadas da Disney

Juan de Souza18/10/2016

Crítica: Meu Amigo, o Dragão

Juan de Souza02/10/2016

Filmes que todo empreendedor deveria assistir no Netflix

Juan de Souza14/08/2016

Crítica: Esquadrão Suicida

Juan de Souza05/08/2016