Games

Review: Grow Home

Esqueça o tradicional Super Mario World, Donkey Kong e Alladin. Em outras palavras, esqueça este mundo horizontal que você está acostumado desde que tocou nos primeiros controles e preste um pouco da sua atenção em Grow Home, um game de produção simples e encantadora da Ubisoft.

Análise Grow Home Brasil
Fonte da imagem: Ubisoft

Desenvolvido pela Ubisoft Reflections (pequeno estúdio com apenas oito pessoas) e anunciado há apenas algumas semanas como sendo um lançamento exclusivo do Steam, Grow Home pegou os gamers de surpresa ao oferecer uma ideia inovadora e fora dos padrões convencionais: a exploração vertical de um mundo vasto e cheio de opções.

Na aventura, controlamos um robozinho simpático chamado de BUD (abreviação de Biomechanical Utility Droid), que é mandado para uma galáxia distante para encontrar novas espécies de plantas que irão ajudar na produção de oxigênio de seu planeta natal, isso levará você em uma imersiva e divertida jornada pelo mundo de Grow Home.

A principal missão é descobrir uma pequena porção do território de um planeta desconhecido, com o único propósito de fazer crescer uma planta, muito além dos 2.000 metros de altura. Será possível? Pode até parecer uma tarefa complicada, mas na verdade é simples: ao longo do seu tronco, florecem pequenas flores que crescem descontroladamente, a nossa missão passa por direcioná-las as formações rochosas que se situam em diferentes pontos de altitude, ricas em LifeBlood.

Análise Ubisoft Grow Home
Fonte da imagem: Ubisoft

Em Grow Home, podemos encontrar soterrados ou fixados em pontos estratégicos nas paredes rochosas cristais, que têm de ser extraídos e consumidos pelo pequeno BUD. Com isso, em cada dez em dez cristais, o robô tem acesso a novas funcionalidades, tais como controlar a câmera para obtermos novos pontos de vista de tudo o que nos rodeia, entre outras coisas presentes em Grow Home.

Existem também outras atividades interessantes a serem realizadas, como descobrir cavernas e túneis secretos, interagir com os habitantes (pequenos animais e seres). A partir desse princípio, podemos afirmar que há motivos bem interessantes para jogar por um longo período de tempo nesta realidade alternativa super colorida e divertida.

A ideia por trás de Grow Home funciona perfeitamente. A medida que escalamos pelo respectivo tronco da planta, a sensação de vertigem é transmitida na perfeição, tornando-se um verdadeiro desafio quando a distância em relação ao solo aumenta. A cada metro conquistado, vamos agindo com mais cautela, o ritmo de cuidado aumenta e vemos conosco uma possível eventual queda.

Grow Home Ubisoft
Fonte da imagem: Ubisoft

Para que estas possíveis quedas sejam menos dolorosas, existem ao longo da jornada, diversas estações para serem descobertas, permitindo o teletransporte entre elas. No final das contas, são pequenos os chekpoints que nos permitem respirar de alívio a cada falha na nossa escalada. Além disso, ao longo de nossa jornada, encontramos flores que podem ser utilizadas mais para a frente para “flutuarmos” durante alguns segundos como uma folha, até perderem todas as suas pétalas.

Durante a jogatina, temos a sensação de que haverá momentos específicos em que você entenderá todo o objetivo, fazendo com que domine o mesmo. O realismo estético que a Ubisoft empregou ao Grow Home é algo sensacional, substituindo de maneira efetiva o módulo poligonal que vimos no passado. Uma experiência repleta de cor e simplicidade que apenas peca pelo tempo limitado de jogo.

Nossa Opinião
  • Gráficos - 9.7/10
    9.7/10
  • Interface - 9.5/10
    9.5/10
  • Jogabilidade - 9.2/10
    9.2/10
  • Desempenho - 10/10
    10/10
  • Funcionalidades - 8.5/10
    8.5/10

Conclusão

Grow Home é um título inteligente e encantador para se passar horas e horas num mundo colorido e vibrante. Além da sua inegável beleza, podemos contar com um design inteligente e francamente diferenciador. O único contra notável seria a falta de continuação em novidades no mundo onde BUD se localiza.

9.4/10
Games
@tfxbrasil

Meu nome é Juan de Souza, tenho 17 anos de idade, sou o Fundador e CEO do TFX Startup, uma startup com serviços e projetos inovadores, com o foco no Brasil e em outros países da América.

Veja também outras matérias relacionadas a Games:

The Legend of Zelda: veja as curiosidades

Juan de Souza19/05/2017

Nostalgia: Nintendo 64

Juan de Souza12/05/2017

Review: Slime Rancher

Juan de Souza08/05/2017

Benefícios científicos de jogar videogames

Juan de Souza03/05/2017

Review: John Jump

Juan de Souza24/12/2016

Review: The Last Guardian

Juan de Souza15/12/2016