Cinema

Grandes Filmes: Pulp Fiction – Tempo de Violência

Considerado a obra prima de Quentin Tarantino, o longa ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original em 1995, que foi completamente merecido. O longa apresenta histórias interligadas, porém estas conexões entre os contos são apresentados de modo randômico e fragmentado.

Tarantino dirige e escreve este filme com muito cuidado com cada cena, pois uma cena com erro de continuação ou furo de roteiro presente no dialogo poderia causar um efeito bola-de-neve e acabar com o filme.

Filme Pulp Fiction Épico
Fonte da imagem: Good On Netflix

O filme foca nas histórias de Jules Winnfield (Samuel L. Jackson), Vincent Vega (John Travolta), Mia Wallace (Uma Thurmam) e Butch Coolidge (Bruce Willis) e como elas se interligam por consequências, as vezes até absurdas. Estes são os principais arcos, e neles aparecem outros personagens que servem para alterar o curso dos principais durante o longa.

O roteiro é simplesmente genial, fazendo com que cada “capítulo” de cada personagem seja memorável, e que cada um tenha seu objetivo e complicação, e acima de tudo discursos que são lembrados até hoje por fãs do Tarantino. Além dos dialogos hiper-realistas entre os personagens.

A direção de Quentin não decepciona, mostra que mesmo sem cursar cinema em nenhuma faculdade/universidade o homem impressiona. Com referências e “easter-eggs” ao seus antigos e futuros filmes, o filme é considerado uma obra-prima até hoje.

As atuações são espetaculares, porém, a atuação de Samuel L. Jackson é de longe uma das mais memoráveis em toda história do cinema, infelizmente não o rendeu um oscar devido a atuação de Tom Hanks no filme Forrest Gump. Porém quem que viu o filme e esqueceu do discurso Ezekiel 25:17? Poucas pessoas com certeza.

A trilha sonora de todos os filmes do Tarantino não é feita por ele, nem sequer feita para o filme. Quentin pega músicas independente do gênero ou qualidade e as bota na tela de modo que fique simplesmente excelente, parecendo que realmente foi feita para o momento.

O filme rendeu 212 milhões de dólares para Tarantino, este foi o filme que realmente lançou o diretor violento que conhecemos até hoje por filmes como Bastardos Inglórios, Kill Bill e entre muitos outros.

E você, o que achou desse filme? Compartilhe a sua opinião conosco! 🙂

Imagem: Good On Netflix

  • Pedro Gouvea

    Rafael, ficou muito bom o post; mas vc acha que seria legal criar também um série tipo: “Grandes Séries”, tipo, Tom & Jerry, ou ainda , The Walking Dead? 😉
    Valeu!!

    • Então Pedro, eu levantei esta questão com meus companheiros aqui no site, ainda eh algo incerto.
      P.S.: Recomendo ver Breaking Bad

Cinema

Sócio da Aibu's Films, escrevo para o site e sou estudante no Ensino Médio.

Veja também outras matérias relacionadas a Cinema:

Crítica: Moana

Juan de Souza06/01/2017

Crítica: Rogue One – Uma História Star Wars

Juan de Souza17/12/2016

Curiosidade: As cenas reutilizadas da Disney

Juan de Souza18/10/2016

Crítica: Meu Amigo, o Dragão

Juan de Souza02/10/2016

Filmes que todo empreendedor deveria assistir no Netflix

Juan de Souza14/08/2016

Crítica: Esquadrão Suicida

Juan de Souza05/08/2016