Cinema

Crítica: Horas Decisivas

Horas Decisivas” é um filme americano idealizado por Craig Gillespie e escrito por Eric Johnson e Paul Tamasy, baseado no livro de mesmo nome, lançado em 2009 por Casey Sherman e Michael J. Tougias. O filme é baseado em uma história real do Pendleton, com uma tentativa de resgate pelos navios da Guarda Costeira. Com isso, uma grande tempestade atingiu e dividiu em pedaços dois petroleiros em 1952.

Horas Decisivas Crítica
Imagem/Reprodução: The Verge

Fatos que foram presenciados no mar sempre são propícios para filmes. Quando não se tem uma história, se inventa ou se mistura realidade com ficção, como, respectivamente, na franquia “Piratas do Caribe” e em “Titanic“.

A última produção que estreará no Brasil sobre fatos ocorridos no mar é a da Disney: Horas Decisivas. O filme é baseado no livro de mesmo nome, contando o episódio de resgate pela Guarda Costeira norte-americana da tripulação de um petroleiro rompido ao meio durante uma forte tempestade de inverno.

Em 1952, o militar da Guarda Costeira, Bernie Webber cumpre as ordens e as normas a que ele é submetido e está prestes a se casar com a sua namorada, Miriam. Mesmo sem precisar, ele pedirá permissão ao seu superior, Daniel Cluff, para se casar com ela.

Horas Decisivas Crítica
Imagem/Reprodução: The Verge

A direção de Craig Gillespie deixa bem clara as características de cada personagem, com destaque especial aos interpretados por Chris Pine e Casey Affleck. Além de saber lidar com os atores, o diretor, também, conseguiu realizar a mistura de drama e aventura na medida certa.

A escolha do elenco foi muito bem selecionada, é super compreensivo a escolha de Craig Gillespie para os papéis do filme, por causa da boa interpretação. Porém, Bernie Webber teria ficado mais “visível” se tivesse sido interpretado por um ator um pouco mais novo, por exemplo.

É inverno na Inglaterra e uma forte tempestade se aproxima. Ainda assim, Bernie iria conversar com o oficial Daniel, sobre um petroleiro que se parte ao meio em alto-mar. Com isso, quase todos os barcos disponíveis da guarda costeira partem para salvar a tripulação. Com problemas no radar, um ponto na tela indicando algo mais próximo a costa foi entendido como mais um defeito até os tripulantes do petroleiro informarem que se tratava de outro, o SS Pendleton, que também teria se partido e estava à deriva.

Horas Decisivas Crítica
Imagem/Reprodução: The Verge

O SS Pendleton possui 32 tripulantes, entre eles o chefe das máquinas, Ray Sybert. Ray e outros precisam controlar o medo e tentar ao máximo se manterem à tona para serem salvos. Ao saber do segundo petroleiro, o oficial Daniel pede que Bernie reúna um grupo e que vá com o barco que sobrou – o menor – resgatar os tripulantes do Pendleton.

Além disso, a Trilha Sonora é outro aspecto que está na medida certa e ajuda dar a tensão certa. O compositor Carter Burwell, fez com que os momentos mais dramáticos do filme tivessem um destaque maior, conseguindo prender a atenção do público (literalmente).

Galeria de Imagens

Trailer Oficial

Nossa Opinião
  • Enredo - 8/10
    8/10
  • Elenco - 7.5/10
    7.5/10
  • Direção - 8/10
    8/10
  • Trilha Sonora - 7/10
    7/10

Conclusão

"Horas Decisivas", apesar de ser um filme com a evidência da determinação do povo norte-americano, principalmente, dos seus militares, flui muito bem. A história do resgate dos tripulantes do petroleiro SS Pendleton é bem contada, conseguindo deixar claro o que pessoas conseguem fazer quando enfrentam situações extremas. Uma excelente opção!

7.6/10

Imagem: IMDb

Cinema
@tfxbrasil

Meu nome é Juan de Souza, tenho 17 anos de idade, sou o Fundador e CEO do TFX Startup, uma startup com serviços e projetos inovadores, com o foco no Brasil e em outros países da América.

Veja também outras matérias relacionadas a Cinema:

Crítica: Moana

Juan de Souza06/01/2017

Crítica: Rogue One – Uma História Star Wars

Juan de Souza17/12/2016

Curiosidade: As cenas reutilizadas da Disney

Juan de Souza18/10/2016

Crítica: Meu Amigo, o Dragão

Juan de Souza02/10/2016

Filmes que todo empreendedor deveria assistir no Netflix

Juan de Souza14/08/2016

Crítica: Esquadrão Suicida

Juan de Souza05/08/2016