Cinema

Crítica: Warcraft

Chegou! O primeiro filme do universo criado pela Blizzard Entertainment: Warcraft. Com isso, os fãs deram uma atenção especial e viram um grande potencial para um novo filmão. Um dos principais atrativos foi a contratação do diretor Duncan Jones, fã declarado do jogo e um dos cineastas mais elogiados atualmente dentro do gênero.

Warcraft Review Crítica Filme
Imagem/Reprodução: Polygon

O filme tem como base os livros “The Last Guardian” e “Rise of the Horde“, e se passa exatamente em Azeroth, um lugar pacato governado pelo rei Llane Wrynn, que tem ao seu lado o guerreiro Anduin Lothar e o poderoso guardião Medivh.

A paz é quebrada com a abertura de um portal, quando Orcs começam a atacar impiedosamente pelas ordens do mago Gul’dan em busca de dominar o lugar e escravizar os humanos para absorver as almas e, respectivamente, aumentar seu poder.

Análise Warcraft Filme
Imagem/Reprodução: Polygon

Em “Warcraft”, a trama por si é batida e de certa forma já foi vista em várias outras produções do gênero, principalmente por sua estrutura basicamente seguir o esquema de guerreiros humanos do bem enfrentando guerreiros monstros do mal. Contudo, este é o menor dos problemas, para a infelicidade dos que ansiavam por uma luz.

O filme carece em um quesito importante: a emoção. Com um primeiro ato focado em explorar o mundo que aborda e apresentar os personagens, o ritmo começa desacelerado e deve deixar alguns espectadores impacientes, mais ainda por este artificio não funcionar, pois ao fim da projeção mal sabemos o nome do protagonista.

Review Warcraft em Português
Imagem/Reprodução: Polygon

É inegável que os Efeitos Visuais utilizados possuam qualidades, mas quando contrapostos a figuras humanas notasse totalmente a artificialidade, não só das figuras, como de alguns pontos específicos do cenário.

Além disso, não é criado um processo de identificação. Jamais embarquemos na ideia de que os Orcs são seres táteis, a credibilidade e o receio sobre o que pode acontecer aos personagens são praticamente nulos, diminuindo dessa maneira a emoção e envolvimento do público em cenas importantes ou mesmo no clímax.

Vale a Pena Warcraft em Português
Imagem/Reprodução: Polygon

A direção é sem duvidas o aspecto mais admirável, resgatando perfeitamente artes conceituais já vista nos games originais, potencializando a qualidade do produto. E como foi mencionado, os Efeitos Visuais são de alto nível, o caso é que não funciona bem dentro da proposta do filme e pode soar um tanto quanto estranho.

Por último, mas não menos importante: a Trilha Sonora. No filme, Ramin Djawadi aposta em um tema aparentemente engajado e trabalha com este durante toda exibição. E no que se refere à montagem de Paul Hirsch, é curioso notar que mesmo inchado e prolixo, Paul Hirsch consegue ligar os pontos adequadamente.

Nossa Opinião
  • Enredo - 7.1/10
    7.1/10
  • Direção - 6.8/10
    6.8/10
  • Efeitos Visuais - 8.0/10
    8.0/10
  • Trilha Sonora - 7.6/10
    7.6/10

Conclusão

"Warcraft" pode ser considerado um ótimo filme, indicado para gamers e intusiastas. A história deste fantástico universo e suas criaturas fabulosas é simplesmente brilhante. A trama segue o padrão básico dos filmes do gênero e deixa um gostinho de quero mais.

7.4/10

Imagem: Polygon

Cinema
@tfxbrasil

Tenho 18 anos, Fundador & CEO do TFX Startup, uma empresa com produtos, serviços e projetos inovadores. Meu primeiro empreendimento foi aos 10 anos utilizando conexão dial-up (discada).

Veja também outras matérias relacionadas a Cinema:

Crítica: Moana

Juan de Souza06/01/2017

Crítica: Rogue One – Uma História Star Wars

Juan de Souza17/12/2016

Curiosidade: As cenas reutilizadas da Disney

Juan de Souza18/10/2016

Crítica: Meu Amigo, o Dragão

Juan de Souza02/10/2016

Filmes que todo empreendedor deveria assistir no Netflix

Juan de Souza14/08/2016

Crítica: Esquadrão Suicida

Juan de Souza05/08/2016